Páginas

sábado, 31 de dezembro de 2011



Tempo, Tempo, Tempo!


O tempo não espera por ninguém.
Ontem é história.
Amanhã é um mistério,
O hoje é uma dádiva, 
Por isto é chamado de
"Presente"


Feliz 2012!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Curiosidade sobre a Árvore de Natal

Esta tradição começou na Alemanha em 1530 com Martinho Lutero:
Certa noite em que caminhava pela floresta, ficou impressionado com
a beleza dos pinheiros cobertos de neve. As estrelas do céu ajudaram
a compor a imagem que Lutero reproduziu com galhos de árvores em
sua casa. Além das estrelas, algodão e outros enfeites, ele utilizou velas
acesas para mostrar aos seus familiares a bela cena que tinha visto na
floresta!
Foi trazida para as Américas durante o período colonial. No Brasil,
país de maioria cristâ, a Árvore de Natal se espalhou por muitos
lugares, pois além de decorar, simboliza: alegria, paz, amor e esperança.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

A Arteira e a Arte



Mamãe me empresta tua bolsa
Teu colar e teus sapatos
Depois me passa batom
Que vou tirar um retrato

Deixa eu me olhar no espelho
Deixa só por um instante.
Quero o batom mais vermelho
Quero um colar mais brilhante.


 A sala é uma passarela
Requebro e faço proeza
Sou artista de novela
E rainha da beleza

Será que o sonho termina
Quando desço dos sapatos?
Será que baixa a cortina
Quando chega ao fim do ato?

Poesia de Dilan Camargo


Quem tem netinhas entende bem
As menininhas que estão sempre
A imitar: a mamãe, a professora...
A titia, as amiguinhas e até mesmo
A vovozinha!
Elas gostam de se mirar nos "espelhos"
Que as rodeiam,
Melhor será que sejam  sempre
De bom cristal!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Sempre é Tempo de Sonhar









Navegando vai meu barco
Prá lugares que não conheço
De cada parte traz um pedaço
Traz prá mim o mundo inteiro!

No sonho vejo meu barco voltando
Carregado de segredos
Vejo um novo dia raiar
Fazendo os meus olhos brilhar

Não me deixes neste suspense
Já não tenho muito tempo
Chega logo, neste momento
Pois quero morrer de encantamento!

sábado, 5 de novembro de 2011

Homenagem a uma Sexagenária

Mirian:
Você é para mim uma pessoa especial: amiga sincera e generosa em todas as horas.
Dos pais, muitos herdam latifúndios, status, jazidas muita grana...
Nós recebemos outro tipo de herança bem mais preciosa pois enobrece o nosso caráter.
Da querida tia Lili você recebeu o dom da comunicação que exerce com categoria,
na sua expressão total: no olhar, no sorrir, no ouvir e no interagir com delicadeza.
Todos, dos mais jovens aos mais velhos recebem de você este fluir interior tão escasso
nos dias atuais onde ninguém tem mais tempo prá ninguém.
Outro dom especial foi o da música: cantas e encantas, vês, já tem gente ti imitando!
Outro dom ímpar foi o da maternidade, este é o teu forte, quando vejo as tuas filhas
como crianças, debruçadas em teu ombro, lembro-me  de quando fomos prá Europoa: Beto,
Janete e eu, você preferiu ficar com as pimpolhas, eram sem dúvida, mais importantes para ti!
Bem dizem estes sábios versos: "A mão que embala o berço, é a mão que rege o mundo!"
Oxalá todas as crianças tivessem o privilégio de serem embaladas por mãos tãodedicadas!
Não posso esquecer também dos teus dotes culinários que nos enchem a boca d'agua e
nos deliciam!
Nossa amizade começou quando nossas mães lançaram uma sementinha que caiu em
boa terra, ela nasceu, cresceu,  deu bons frutos e hoje, sob a sombra dos seus galhos
nos sentamos e relembramos!
Parabéns querida Mirian e que os teus brilhantes grisalhos resplandeçam como cristal
junto com o teu caráter sem jaças!
Te amo!
Mare
           Ilhéus, 03 de novembro de 2011

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Esperando por Séculos!


Eis que vieram de mansinho,
Voando baixinho,
Mas crescendo, crescendo,
Até galgarem o topo
Do conhecimento!
Cientistas, estadistas, educadoras,
Promotoras da Paz!
Até mesmo nun mundo distante,
Tão árido e duro
Onde não tinham voz,
Não lhes sendo vendados os olhos,
Observaram em todas as direções:
Espreitaram brechas
Por onde podessem escapar,
Alçar voos, fazendo coro com as demais,
Em prol de um mundo mais justo,
Mais solidário, mais igual!
Aí estão agora recebendo o
PrêmioNobel da Paz de 2011
Ano de Nosso Senhor
Ano de todos nós!


sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Salvação Graciosa

Lutero,o grande reformador protestante do séculoXVI,
quebrou suas algemas quando
redescobriu na  Bíblia a fórmula da Salvação pela Fé.
"Pela fé sois salvos, não pelas obras para que
ninguém se glorie" Paulo(apóstolo)

ACRÓSTICO

R - evisão de vlores caducos
E-  mbutidos na cultura medieval
F - azendo réus os sonhadores
O - fertando nova visão
R - revogando a Clásula Pétrea
M - ostrando verdades escondidas 
A- lmejando um mundo melhor

P - ropondo verdade, liberdade e vida!
R - renovando a estrutura clerical
O - Organizando o Evangelho de Cristo
T - razendo à luz a salvação pela fé
E - nsaiando uma nova era
S - atisfazendo grandes anseios
T - riunfo da luz sobre as trevas
A - vivamento de mentes embotadas
N - egando salvação comprada
T - estemunhando a grandeza da graça
E - ternidade por Cristo alcançada

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O Dragão que comia Luz





Na idade das trevas,
Havia um grande Dragão
Que se alimentava de luz,
Quando uma faísca surgia
O dragão logo engolia!


Por séculos, as trevas,
O mundo inteiro encobria!
Certo dia, um dragãozinho
Resolveu trazer de volta a Luz.

Alimentado de esperança,
Ajudado por outros amigos,
Venceu o magno Dragão
Fazendo brilhar toda luz
Que o grande tinha engolido!

Com a luz, tudo foi revelado!
Os homens ficaram felizes
Aplaudiram o dragãozinho
Por seu engenho e coragem!


quarta-feira, 5 de outubro de 2011

O Menino e a Cabra












A cabra precisava pastar
Prá dá leite a menininha,
O menino pela manhã a levava
E à tardinha buscava,
A menininha crescia e encantava
Os olhinhos do menino brilhavam!

O menino cresceu e médico
se tormou
A menina cresceu e psicóloga
se tormou
Da história da cabra
ninguém lembra mais,
No entanto ela entrelaçou os dois 
Numa robusta e saudável amuzade!

domingo, 11 de setembro de 2011

Viva a Liberdade!















Na janela dos silos
De uma casa de fazenda
Um casal de transeuntes passarinhos
Viram um velho chapéu dependurado,
Não pediram licença ao dono
E logo dele se apossaram!
O casal começou a construir seu ninho,
Não desconfiavam que uma certa menina
De longe lhes espreitava!
Dia a dia traziam gravetinhos
E preparavam o ninho
Dos filhotes que esperavam!
Lugar melhor não havia,
Pela manhã batia sol dourado,
À tarde sombra e brisa ali chegavam!
Terminada a empreitada
A mamãe passarinho pôs ali quatro ovinhos
E encima deles por longo tempo se deitava!
Por fim as cascas romperam
E quatro filhotes pelados nasceram!
A mamãe durante o dia ia buscar comida
Para os esfomeados bebês:
De longe trazia sementinhas, insetos
E lagartinhas
E com o seu próprio bico
Na garganta deles depositava,
Sendo mãe de quadrigêmeos
Será que ela sabia o qual tinha alimentado?
Os filhotes devagar foram emplumando
E a menina curiosa continuava observando!
À noite a cuidadosa mamãe
Os cobria com suas asas!
Certo dia, já cuidados e emplumados
Prá longe bateram as asas
Prá cuidar de si sozinhos!
A mamãe deixou o ninho
Foi buscar novos carinhos

A menina então pensava:
“Como é bom ser passarinho,
Não pede licença, não paga aluguel,
Não  tem chefe nem supervisor
Com amor faz bem o seu trabalho
E sem nenhuma cobrança
Emancipam seus filhinhos!”

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Quebranto







O bebê estava lindo
Nos braços de sua mãe

Passou um ente curioso
E comentou:
“Mas que bebê lindo!”
A mamãe estremeceu.
No dia seguinte
O menino adoeceu,
A vovó chamou a rezadeira
Que o pequenino benzeu
Com uns galhinhos de arruda
Cruzava o corpo do neném
E dizia baixinho palavras
Que só ela sabia dizer!
Quando a arruda murchava
Devagar ela saía,
E o bebê ficava curado!

domingo, 28 de agosto de 2011

À Laura













Menina muito engraça,
Bailarina muito aplicada
E já fez  seus dez aninhos!
Ora age como adulto,
Ora, como criancinha!..
Nina é sua cachorrinha,
Seu bebê, sua amiguinha!
Põe no chão o edredom
Leva livro, caderno, lápis
Lá ficam as duas embrulhadas,
Estudando matemática!
Final de semana
Pega Travesseiro e cobertor
E vem dormir com a vovó
“Vovó, faz um chazinho?”
E lá vai  a vovó prepará-lo
Com carinho
Depois de tomarmos o chá,
Leva as xícaras prá cozinha
E volta com dois copos d’água,
À noite sentimos sede!
Pega o seu colchão
E põe aos pés da cama da vovó
Arruma tudo direitinho;
Do lado, um brinquedinho
Ou dois novos livrinhos!
Depois do primeiro parágrafo,
O sono logo chega de mansinho!
A vovó sempre lhe diz:
“Vamos fazer uma oração”
Prá dormir bem gostosinho,
Papai do céu manda um anjo
Prá ficar aqui pertinho!
O ar condicionado tem que ser logo ligado
"È por causa do barulhinho!..."
A vovó sempre lhe afaga
E lhe dá muitos beijinhos
Laura é um pouco bagunceira,
Mas a mamãe fez um joguinho
Ganha pontos quando acerta,
Tira pontos quando erra
E a cada cem pontinhos
Ganha sempre um brindezinho!
Ela é muito interessante:
Acorda cedo até aos domingos!
À semana vai prá Escola
Aos domingos vai prá Igreja
Aprender de Jesus Cristo!
Salve menina querida!
Que Deus siga os teus passos
No percurso de tua vida!

domingo, 21 de agosto de 2011

O Ladrão de Galinhas



Um retrato bem humorado da nossos Rpública! Rsrsrss...

Pegaram o cara em flagrante roubando galinhas de um galinheiro e o levaram para a delegacia.
D - DelegadoL – Ladrão
D - Que vida mansa, heim, vagabundo? Roubando galinha para ter o que comer sem precisar trabalhar. Vai para a cadeia!
L - Não era para mim não. Era para vender.
D - Pior, venda de artigo roubado... Concorrência desleal com o comércio estabelecido. Sem-vergonha!
L - Mas eu vendia mais caro.
D - Mais caro?L - Espalhei o boato que as galinhas do galinheiro eram bichadas e as minhas galinhas não. E que as do galinheiro botavam ovos brancos enquanto as minhas botavam ovos marrons.
D - Mas eram as mesmas galinhas, safado.L - Os ovos das minhas eu pintava.D - Que grande pilantra... (mas já havia um certo respeito no tom do delegado.....)D - Ainda bem que tu vai preso. Se o dono do galinheiro te pega...L - Já me pegou. Fiz um acerto com ele. Me comprometi a não espalhar mais boato sobre as galinhas dele, e ele se comprometeu a aumentar os preços dos produtos dele para ficarem iguais aos meus. Convidamos outros donos de galinheiros a entrar no nosso esquema. Formamos um oligopólio.. Ou, no caso, um ovigopólio...D - E o que você faz com o lucro do seu negócio?L - Especulo com dólar. Invisto alguma coisa no tráfico de drogas. Comprei alguns deputados. Dois ou três ministros. Consegui exclusividade no suprimento de galinhas e ovos para programas de alimentação do governo e superfaturo os preços.
O delegado mandou pedir um cafezinho para o preso e perguntou se a
cadeira estava confortável, se ele não queria uma almofada. Depois
perguntou:
D - Doutor, não me leve a mal, mas com tudo isso, o senhor não está
milionário
?
L - Trilionário. Sem contar o que eu sonego de Imposto de Renda e o
que tenho depositado ilegalmente no exterior...
D - E, com tudo isso, o senhor continua roubando galinhas?L - Às vezes. Sabe como é.D - Não sei não, excelência. Me explique.
L - É que, em todas essas minhas atividades, eu sinto falta de uma coisa. O risco, entende? Daquela sensação de perigo, de estar fazendo uma coisa proibida, da iminência do castigo. Só roubando galinhas eu me sinto realmente um ladrão, e isso é excitante. Como agora fui preso, finalmente vou para a cadeia. É uma experiência nova.
D - O que é isso, excelência? O senhor não vai ser preso não.L - Mas fui pego em flagrante pulando a cerca do galinheiro!D - Sim. Mas primário, e com esses antecedentes...

Luis Fernando Veríssimo

domingo, 31 de julho de 2011

À Bianca, minha filha espiritual


Bela suave e sensível,
Sentindo o toque do Espírito
Não vacilou, disse "sim,"
Aqui estou meu Senhor!
Sinceramente encantada
Com as verdades 
No evangelho encontradas,
Como "vaso de bênçãos"
Fostes por Deus usada,
Cheia de graça e beleza,
Em teu semblante
Luz suave se espelha!
Sal da terra e luz do mundo
Sejas sempre menina querida,
Que o Eterno firme os teus passos
Espargindo por onde passares
O "suave perfume de Cristo!"

terça-feira, 19 de julho de 2011

Coisinhas de crianças

Conversando com minha netinha de três anos sobre suas partes íntimas cujo apelido é "popota,"  ela me saiu com esta: vovò, eu vi a popota de Paulinho, eu exclamei : foi mesmo! E como era a popota dele?
Ela cochichou no meu ouvido: " a popota dele tem um rabinho!"

quinta-feira, 30 de junho de 2011


Conviver com crianças é maravilhoso pois podemos entrar no mundo
delas se tivermos habilidade para ouvi-las,  compartilhar dos diálogos, das brincadeiras,  das estórias,  inserindo valores, ensinado  coisas do cotidiano, brincando, sorrindo, dramatizando...
Que delícia podermos privar da sinceridade de sua amizade!
Abraçar, fazer cosquinha, enxugar com um beijo uma lágrima que escorre dizendo com carinho: 
salgadinha esta lagriminha, experimenta!
Estanca imediatamente a cachoeira que despencava dos seus olhinhos, a mágoa se esvai e o sorriso aflora novamente.
"Uma criança que pula que canta/ que ri e chora/ é uma risonha aurora/  que
o coração nos esmalta/ infeliz daquele a quem falta/ nesta vida que se evapora/
uma criança que pula/ que canta/  que ri e chora!"

segunda-feira, 30 de maio de 2011

A História do Pato











Havia dois irmãos que visitavam seus avós, no sítio, nas férias.
Felipe, o menino, ganhou um estilingue para brincar no mato.
Praticava sempre, mas nunca conseguia acertar o alvo.
Certa tarde viu o pato de estimação do vovô... Em um impulso
atirou e acabou acertando na cabeça do pato e o matou. Ficou
chocado e triste!
Entrou em pânico e escondeu o pato morto no meio da madeira!
Beatriz, sua irmã, viu tudo mas não disse nada aos avós.
Após o almoço, no dia seguinte, a avó disse: ”Beatriz, vamos lavar
A louça” mas ela disse: “vovó, o Felipe me disse que queria ajudar
na cozinha” e olhando para ele sussurrou: “Lembra do pato?”
Então Felipe lavou os pratos.
Mais tarde o vovô perguntou se as crianças queriam pescar e a vovó disse:
“desculpe, mas eu preciso que a Beatriz me ajude a fazer o jantar.”
Beatriz apenas sorriu e disse: ”Está bem, mas o Felipe me disse que
queria ajudar hoje,” e sussurrou novamente para ele,”lembra do pato?”
Então Beatriz foi pescar e Felipe ficou para ajudar. Durante vários dias
o Felipe ficou fazendo o trabalho de Beatriz até que não aguentando
mais, confessou para a avó que tinha matado o pato.
A avó o abraçou e disse:
“Querido, eu sei... eu estava na janela e vi tudo, mas porque eu te amo,
Eu te perdoei. Eu só estava me perguntando quanto tempo você iria
deixar a Beatriz fazer você de escravo.” (Adaptado de um e-mail)

sábado, 28 de maio de 2011

Tudo que é belo...


Lutemos para que o mundo possa continuar belo,
florido, irrigado por grandes rios e belas cachoeiras,
Lutemos para que os homens deixem a sua insensatez
abram os olhos espirituais pois só eles nos fazem ver
o que é verdadeiramente precioso e bom.
Lutemos para que as crianças não percam cedo a sua
inocência e possam  desfrutar da infância, pedaço
encantado da vida
Lutemos pela liberdade com responsabilidade
Lutemos por tudo que dá real sentido a vida
Como  bem disse o apóstolo Paulo:
"Tudo que é puro, tudo que é verdadeiro, tudo
que é de boa fama, se há alguma virtude,
se há alguma lovor, nisto pensai"

domingo, 15 de maio de 2011

As palavras Comovem, os exemplos Convencem



Na minha adolescência, conheci uma mulher singular.
Professora, formada pela Escola Americana de Ponte Nova, Bahia,
pianista, abastada de bens materiais aos quais lhes dava pouca importância.
Era quase uma franciscana!
Todos os dias deixava sua casa confortável e fazia uma longa trajetória a pé
para levar alento aos carentes e necessitados da periferia de Campo formoso.
Em sua casa apareciam sempre pessoas para lhe pedir ajuda para ir
para S. Paulo catar café, ou uma consulta médica para alguém doente,
ou algum pequeno trabalho que lhes garantisse a sobrevivência!
A todos ela acolhia com simpatia.
No fogão a lenha, nunca faltava o café e o pão com manteiga, quentinho!
Sentava-se à mesa com os seus pobres e com eles partilhava o lanche.
Trazia depois uma cartilha com fotos coloridas e dizia:
vamos ler uma história, é a “mais importante” história da humanidade!
Ia então contando a história de Cristo do seu nascimento até a sua morte
e o motivo pelo qual havia morrido
Terminadas essas duas etapas ela dizia: "fale o que você deseja":
escutava com atenção o pedido do seu visitante e depois dizia:
"vamos ali orar" para que Deus nos mostre o caminho para solucionar
o seu problema. Ajoelhava-se com o pedinte e fazia a prece.
Partia então para "a ação"!
Pedia dinheiro a quem ia encontrando pelo caminho. Dizia:
"este filho de Deus" quer ir tentar a vida Em São Paulo, será que os Senhores
podiam dar uma contribuição”? E assim continuava.
Alguns comerciantes se escondiam ao vê-la, mas ela não se deixava intimidar.
Realizou o sonho de dezenas de pessoas mandando-as para S Paulo.
Dia após dia, era essa sua principal ocupação.
Elegeu-se vereadora sem nunca pedir votos!
Seu pensamento era o irmão necessitado.
O culto formal na Igreja e o piano não eram as coisas mais importantes
para aquela incansável mulher que transcendia às convenções!
Certo dia, perguntei-lhe o porquê do seu Interesse pelos pobres,
ela me citou este versículo bíblico:
"vinde benditos do meu Pai /possuir o gozo que está preparado para vós/ desde a
fundação do mundo / porque tive fome e me deste de comer/ tive sede e me deste
de beber/ estava nu e me vestiste/ na prisão e me foste ver/ era estrangeiro e
me hospedaste"!

Nasci e cresci na Igreja Presbiteriana, ouvi centenas de sermões dos mais
fluentes oradores sacros, mas o que ficou mesmo dentro da minha cabeça, 
dentro do meu "ser" e de muitos adolescentes de minha geração, foi o exemplo
deixado por  Dona Carmélia.
 A ela, carinhosamente, quero dedicar essa singela
HOMENAGEM (Ainda que póstuma)!

















quinta-feira, 5 de maio de 2011

Lembranças






As mães nunca morrem,
Continuam sempre vivas em nós:
Nos nossos atos e atitudes
No nosso jeito de ser:
De olhar, de sorrir, de andar,
De condoer-se ou não...
Tudo que aprendemos
Veio primeiro delas!
Pela vida a fora seguimos
Com o nosso braço sempre
Entrelaçado ao delas!
Nas horas difíceis,
Sentimos falta do carinho,
Da proteção:
Dos chazinhos de cidreira
ou de limão com mel,
Do leite com açúcar queimado...
Para tudo havia um remédio
Cuja eficácia estava mesmo
No mérito do afeto!
Suas citações viraram provérbios:
“O saber morre com seu dono”
“Diz-me com quem andas
e eu te direi quem és”
“Quem boa romaria faz,
em sua casa está em paz!”
As primeiras orações,
Ou cantos que entoavam,
Ficaram prá sempre
Em nossas lembranças
Encantados!
Mãe é alicerce, é padrão,
É força!
Salve o dia a elas dedicado!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Acompanharam Jesus durante a sua trajetória
Aqui na terra, hospedaram-no, ouviram os seus
Conselhos, receberam Dele publicamente
Compreensão, apoio e perdão o que na época,
Não era comum em se tratando de um judeu
Para com as mulheres (sempre discriminadas).
Estiveram presentes em sua morte dolorosa
E no dia da ressurreição lá estavam elas logo cedo
Com os aromas que diligentemente haviam preparado
Para ungirem o corpo do amado Mestre.
Chegando ao sepulcro, viram a pedra removida,
Olharam e só havia o  lençol “de linho”
Que O envolveu.
Ficaram então perplexas, choravam exclamando:
Levaram o nosso Senhor e não sabemos
Onde o puseram!
Aparecereu então um anjo com vestes resplandecentes
E  perguntou: “Por que buscais entre os mortos “O que vive”?
Ele não está aqui, “ressuscitou” como havia dito:
"Que seria entregue nas mãos dos pecadores, mas
Que ressuscitaria ao terceiro dia”.
Lembraram-se então de suas palavras e saindo,
Veio Jesus ao encontro delas, e disse-lhes:SALVE!
Elas abraçando-lhe os pés o adoraram.
Correndo foram anunciar aos discípulos a Boa Nova,
Porém eles acharam que elas estavam delirando!
Então Pedro correndo até o sepulcro,
Constatou que o mesmo estava vazio
E voltou maravilhado!
Aleluia!
FELIZ PÁSCOA para todos!

sábado, 16 de abril de 2011

A MORTE DO MEU AMIGO



Quando o meu amigo morreu
De trevas o mundo se encheu,
Quando o meu amigo morreu
O véu sagrado rompeu,
Quando meu amigo morreu
O mundo prá mim encolheu!
Poucos dias depois, ia triste pelo caminho

Quando alguém de mim se aproximou:
Quis saber o porquê do meu desencanto
Eu lhe perguntei se era estrangeiro na terra
E lhe contei a causa do meu pranto 
Ele seguiu ao meu lado e fomos conversando,
Alguma coisa nele não me era estranha,
Ao anoitecer, chegamos a minha pousada,
Apresentei-lhe então aos meus familiares.
Na hora da refeição, “ele agradeceu e partiu o pão”
Então eu o reconheci, não tinha dúvidas,
Era meu Amigo  mais Querido!
A alegria se apossou de mim,
”Insisti com ele que ficasse”,
Mas ele seguiu em frente, tinha missão a cumprir!
Agora sinto que sua presença
“Ficou impregnada em mim”!

terça-feira, 12 de abril de 2011

PRECE


A Ti glorioso Deus:
Que me fazes repousar em verdes pastos
Que me guias às águas tranquilas
Que me cinges de alegres cantos de livramento
Que enches a minha boca de risos
Que perante os meus inimigos
Me preparas uma lauta mesa
Que unges com óleo a minha cabeça
Que fazes o meu cálice transbordar
A Ti de quem recebo bênçãos
Sem medidas
Toda honra, todo louvor sejam dados para sempre.
Amém.

sábado, 2 de abril de 2011

Homenagem


  
          J O S É  A L E N C A R

J – jamais desistia dos seus planos
O - olhava com bons olhos os que lhe cercavam
S  - simplicidade era sua marca registrada
E -  encorajava os que lhe acompanhavam

A -  alegria era  sempre o  seu forte
L -  lamentava-se  só dos juros que pagávamos
E -  espantoso amor nutria pela vida
N - não se arrogava pelo cargo que ocupava
C - corajoso nas piores circunstâncias
A - atuante em todas as esferas
R - ria sempre apesar das duras penas!